Loading...

segunda-feira, 15 de março de 2010

"REENCARNAÇÃO E VIDAS PASSADAS"

A curiosidade do ser humano em relação a vidas passadas não é de hoje. Várias correntes do pensamento filosófico e religioso pregam o retorno à vida, tantas vezes quantas necessárias até a perfeita evolução espiritual. Outras, de origem oriental, dizem que os renascimentos são constantes, sendo seu limite um mistério. Ultimamente até a ciência, através da física quântica, tem se interessado pelos fenômenos inexplicáveis. Reconhece que existe alguma estrada que poderia nos ligar a um registro cósmico que guarda informações do passado. Este mesmo pensamento é encontrado no fenômeno que C. G. Jung, notável psicólogo suíço, chamou de sincronicidade. Historicamente falando, a teoria da reencarnação é tão antiga como a história do próprio homem. Os povos orientais sempre se mostraram sensíveis à crença na reencarnação, aceitando-a e atribuindo-lhe um grande destaque religioso. O budismo e várias seitas hindus sempre acataram a reencarnação da alma. O mesmo podemos dizer dos primeiros cristãos, dos antigos egípcios e dos antigos gregos, que tinham na reencarnação um dos pontos básicos de suas crenças. No Tibet, o Dalai Lama é considerado a reencarnação do seu antecessor. Pitágoras, o grande matemático, afirmava ter sido Euforbos, filho de Pantos. O próprio Kardec reconhecia ter sido, em uma de suas encarnações, um sacerdote druida, motivo que fez com que adotasse o pseudônimo Allan Kardec. O espiritismo admite a reencarnação como o processo das existências sucessivas, retomando o espírito do mesmo ponto evolutivo em que se encontra para um novo aprendizado ou para restabelecer o equilíbrio perdido em fases anteriores. Os relatos de reencarnação também estão presentes nos depoimentos de grandes santos e doutores da igreja. Orígenes, sábio cristão e mestre da igreja, ensinava que "todas as almas chegam a este mundo fortalecidas pelas vitórias ou debilitadas, pelas derrotas de uma vida pregressa”. Dizia que o nosso lugar neste planeta é determinado por nossos méritos ou deméritos do passado". Essa afirmação traduz sua ampla confissão da sua crença viva na reencarnação da alma. São Gregório, Bispo de Nissa, afirmou que "a alma precisa purificar-se e isso não acontecendo durante a vida na Terra, deve ser realizado em outras vidas futuras". Na índia, até hoje, admite-se a reencarnação da alma em corpos humanos, podendo a mesma retroagir e reencarnar em corpos de animais. A maioria das religiões que acreditam em reencarnação, a considera o caminho para a purificação e salvação. O Hinduismo, a religião em prática mais antiga do mundo, é unida pela aceitação do samsara, uma cadeia de nascimentos e mortes ligadas pela reencarnação. Controlar o samsara é a lei do carma. Os Hindus acreditam que todos os indivíduos acumulam carma durante uma vida. Boas ações geram bom carma, e más ações criam carma negativo. Ele não é determinado ou regulado por nenhum Deus; simplesmente é adquirido por um indivíduo e passado para suas vidas posteriores. Já o budismo fundado há 2.500 anos, incorporou a crença hindu na reencarnação. A maioria dos budistas, acreditam no samsara ou no ciclo de renascimento. Apesar da crença na reencarnação ser um elemento predominante de muitas religiões orientais, ela também foi ensinada no antigo mundo ocidental. Algumas antigas religiões greco-romanas acabaram influenciando a filosofia de famosos pensadores como Platão, que acreditava que a alma reencarnava repetidas vezes. É impressionante o número de relatos de pais que afirmam que seus filhos descrevem com convicção a lembrança espontânea de uma existência anterior! As lembranças espontâneas, mais comuns ocorrem entre 3 aos 7 anos de idade e, geralmente, quando as crianças estão em períodos de relaxamento. O humor pode variar, mas o tom de voz e o modo de falar são sempre diretos e naturais. Relatam algo que lembram, como sendo um fato ocorrido há umas emana ou há um mês. Podem usar palavras que não pertençam ao seu vocabulário habitual, ou falar com mais fluência e/ou confiança. Costumam aparentar paz no rosto ou apresentar um olhar vago. A criança pode falar de coisas que os pais sabem que não teve oportunidade de aprender ou tomar conhecimento; pode falar em uma língua desconhecida da família (há relatos de gêmeos que falavam aramaico entre si); quando relata um fato, é do seu ponto de vista, como, por exemplo, o que via ao afogar-se, ou ao ser atropelada. Há alguns comportamentos e/ou sinais típicos: fobias, habilidades espontâneas, talentos natos, sinais de nascença, defeitos físicos, fortes afinidades por culturas diferentes, ou por outra época ou aversões inexplicáveis. Podem apresentar lembranças de locais em que nunca estiveram. Os gatilhos que fazem disparar lembranças espontâneas podem ser os mais variados: - sons, odores, sabores, acontecimentos traumáticos, fotografias, filmes, visão de sangue e etc. Nestes casos os pais devem: - manter a calma; - respeitar os sentimentos; - distinguir entre fantasias e lembranças verdadeiras; - permitir que as emoções aflorem; - esclarecer com cuidado o que é passado e o que é presente; - reafirmar que agora está em outra vida, com um novo corpo e que é amado e aceito; - manter um registro das lembranças; pois poderá ser útil futuramente, para a criança ou para os próprios pais. Mas a criança, e até mesmo o adulto, pode entrar em contato com suas vidas passadas também através dos sonhos. Tem um texto médico tibetano do século XI, onde narra que as lembranças de vidas passadas começam na 26° semana intra-uterina; as evidências médicas atuais confirmam que nesta fase da gestação já há evidências de sono REM (característico dos períodos de sonho). Podemos perceber que o sonho traz lembranças e conteúdos de vidas passadas quando: . É muito vivo, dando uma impressão profunda de que é real. . Quando os sonhos ou pesadelos são repetitivos, acompanhando a pessoa até a vida adulta. . Quando se sente como outra identidade, sendo outra pessoa, em outro tempo e lugar, fala línguas diferentes durante os sonhos. Por isso, é sempre bom lembrar que as crianças podem ser almas antigas habitando corpos infantis, trazendo suas memórias celulares e genéticas. Quantas vezes você já teve a sensação de que já esteve em algum lugar sem nunca tê-lo visitado, já ter visto uma pessoa sem nunca tê-la conhecido. Ou simplesmente, ver a pessoa pela primeira vez, e de cara, ter uma empatia ou antipatia. Esse fenômeno é conhecido como: "Déjà vu" que significa "Já visto" em francês. Normalmente essa sensação vem acompanhada de uma forte emoção que pode despertar sentimentos diversos, negativos ou positivos. Isso ocorre porque o espírito sobrevive à morte física e o inconsciente das pessoas armazena experiências e sentimentos ao longo de vidas sucessivas. Então, num dado momento, o inconsciente, despertado por uma visão, uma palavra, ou algum outro fato relevante traz ao consciente essas memórias provocando o fenômeno "Déjá vu". Como o inconsciente, nem sempre separa o passado do presente, ficamos com a impressão de que o fato refere-se à vida atual. O despertar dessas "memórias", também pode ser provocado intencionalmente, com o objetivo da cura psicoterapêutica, com o método chamado "TVP" - Terapia de Vidas Passadas, que é um método de tratamento da Psicologia, praticado por profissionais credenciados. A Regressão as Vidas Passadas é apenas uma das técnicas aplicadas à TVP. Na Regressão o paciente é levado a relaxar para permitir o acesso ao seu inconsciente. Nesse processo, surgem em sua mente, lembranças dessa vida (da infância, ou até mesmo da fase intra-uterina) ou de vidas passadas. O paciente pode citar nomes, descrever fatos, pessoas, e vivenciar intensamente a sua regressão. Através da Regressão, o paciente é levado a desvendar problemas do passado, dessa vida ou de outras, que possa, estar interferindo no presente. Quando finalmente, consegue separar acontecimentos passados de vivências presentes, o seu inconsciente é “reprogramado” para compreender a natureza de seus conflitos; dores físicas, traumas emocionais, problemas de relacionamento, etc., identificando-os com o passado e eliminando-os do presente. Embora muitos de nós não tenhamos lembranças conscientes de vidas passadas, nós não só estamos vivendo os efeitos do que provocamos naquelas vidas, como são aquelas mesmas causas que fizeram com que nascêssemos novamente. Muitas vezes as pessoas se deparam com uma atividade pela primeira vez, e se surpreendem ao verificar que possuem uma capacidade incrível para aquilo. Ou seja, ela não sabia que já sabia! É o caso do grande pintor e escultor Michelangelo, que criou: Davi e pintou os afrescos da capela cistina. Monzart… já era um prodígio no violino e no teclado desde a infância, onde começou a compor aos cinco anos de idade. Sem citar outros gênios da humanidade, como Leonardo Da Vinci, que desde cedo manifestou inteligência, sabedoria, criatividade, dons e talentos impossíveis de se obter em uma única existência. São verdadeiros gênios com potenciais latentes que se manifestaram magnificamente Você sabia que as lembranças que traz de vidas passadas influenciam diretamente em seu dia-a-dia? Trata-se da sua herança astral, que você carrega de outras vivências. Isso quer dizer que todo mundo tem um carma e uma missão a cumprir aqui na Terra para conseguir ser feliz. Uma outra forma de abordar as vidas passadas é através da Astrologia Cármica e da Numerologia Kármica. Estas técnicas procuram resgatar as experiências de outras vidas, que com certeza influenciam sua vida atual, para resolver e compreender com maior facilidade os problemas e as atitudes que tem hoje. Isso significa que cada pessoa tem um carma em seu caminho e uma missão que deve cumprir para se purificar e alcançar seu crescimento. Através da Astrologia e da Numerologia se pode descobrir qual é o seu carma e qual a sua missão. Quer saber qual é a sua? Então, não perca tempo, descubra já tudo o que deve fazer para evoluir espiritualmente e encontrar a harmonia e paz de espírito!

Nenhum comentário: